ao vivo
Atualizado em

Kings of Convenience: show, só se for com ordem e silêncio

Kings of Convenience: show, só se for com ordem e silêncio

Foi sob a ameaça de ter o show interrompido que o público assistiu a performance da dupla indie Kings of Convenience. Os noruegueses Eirik e Erlend solicitaram o maior silêncio possível por parte da plateia. Não admitiram conversas, bares abertos no local e só cantavam quando ninguém mais estivesse aplaudindo.

“O silêncio é o terceiro componente do Kings of Convenience”, disse Eirik, em tom digno de uma bibliotecária. O clima ficou tão sério que a própria plateia ajudou na ordem: era comum ouvir pessoas pedindo silêncio a quem estivesse cochichando por perto.

Na dúvida se poderia acompanhar a dupla nas músicas, o público cantou baixinho os grandes sucessos, como “I’d Rather Dance with You” e “Mrs. Cold“. As palmas foram proibidas. “Quem quiser nos seguir pode estalar os dedos”, comunicaram.

A música suave faz com que a dupla seja lembrada como a versão indie e internacional de João Gilberto. A comparação ganhou força quando “Corcovado”, de Tom Jobim, foi cantada por Eirik:

Curiosamente, a despeito das exigências, Eirik e Erlend se mostraram “decepcionados” com a falta de animação da plateia. “Todos falam que o público brasileiro é um dos melhores do mundo. Onde estão vocês? Não sabem cantar nem estalar os dedos, não sabem fazer silêncio, estou decepcionado!”, confessou Erlend.

Uns desaprovaram o comportamento da dupla, outros ensaiaram vaias. Teve até quem deixasse o local resmungando. Mas, ao final do show, Kings of Convenience foram aplaudidos pela plateia. Que, a propósito, deveria estar orgulhosa de ter “segurado” o show até o final.

Com informações da Folha



Comentários 0

Comente esta notícia

Nossa programação é feita para e por você

Envie as músicas que você gostaria de ouvir em nossa playlist